Asteroide vai passar perto da Terra – e já vem de máscara posta!

Etiqueta social

Brincadeiras à parte, a imagem do asteroide que você viu acima foi capturada por astrônomos do Observatório de Arecibo, em Porto Rico, e do Virtual Telescope, em Roma, e mostra o 1998 OR2 viajando em nossa direção a cerca de 31,3 mil quilômetros por hora. Mas, conforme mencionamos antes, nós, terráqueos, não temos nada a temer com a aproximação da rocha espacial, já que ela passará a pouco mais de 6 milhões de quilômetros de distância do nosso planeta – ou cerca de 16 vezes a distância média que existe entre a Terra e a Lua.

1998 OR21998 OR2Fonte:  Wikimedia Commons / Arecibo Observatory / NASA / NSF 

Ademais, segundo os cálculos feitos pelos cientistas, não existe qualquer perigo de que o asteroide colida conosco tão cedo – uma vez que existem projeções baseadas em sua trajetória orbital até o ano de 2197. Aliás, ainda bem que não corremos o risco de sofrer um encontrão com esse pedregulho espacial, visto que ele não é pequeno, não! De acordo com as estimativas, o 1998 OR2 mede 1,8 quilômetro de diâmetro e 4,1 km de comprimento, então, imagine o estrago que ele não causaria em caso de impacto…

Na verdade, o fato de o 1998 OR2 ser grandalhão é algo bastante positivo para os cientistas – e fãs de Astronomia –, pois as dimensões fazem dele um astro bastante brilhante e até astrônomos amadores poderão observar a passagem da rocha com telescópios menos potentes. Mas, voltando aos cientistas, a aproximação permitirá que uma porção de levantamentos sejam conduzidos, como medições e análises de sua composição, e poderá ajudar no desenvolvimento de métodos de detecção e sistemas de defesa contra colisões de asteroides.

Caso você tenha interesse em acompanhar a passagem e não possui nenhum equipamento, não se preocupe, já que o pessoal do Virtual Telescope vai transmitir imagens através de seu site – que você pode encontrar através deste link. E se você perder a oportunidade, pode aguardar até 2079, quando o 1998 OR2 nos visitará novamente e chegará mais pertinho da Terra, passando a 1,8 milhões de quilômetros do nosso planeta.

 

Fonte: Tecmundo