Desfecho entre Ferreira, Cruzeiro e Grêmio é tratado com pessimismo

Jogador de 22 anos está em litígio com o Tricolor; imbróglio judicial e desejo gremista por compensação financeira dificultam negócio

O Cruzeiro demonstrou interesse no atacante Ferreira, consultando a direção do Grêmio, mas um desfecho positivo do negócio é tratado como pouco provável. E por ambas as partes. Tanto que as tratativas não evoluíram até o momento.

Justifica-se: o Grêmio só aceita negociar o jogador com um desfecho da questão judicial, já que Ferreira entrou com um pedido de rompimento contratual em caráter liminar, tentativa negada pela Justiça do Rio Grande do Sul. A partir do imbróglio, Ferreira não foi mais utilizado, sendo até retirado da lista do Gauchão.

E com o desejo do Grêmio de retirar a ação trabalhista, para depois negociar, ainda tem o interesse do clube gaúcho em valorizar seu jogador. É que o Tricolor, para liberar, deseja receber algo em troca, uma compensação financeira em um eventual negócio, sem deixá-lo sair livremente.

Ferreira tem contrato com o Grêmio até o meio do próximo ano. Nem a possibilidade de assinatura de um pré-contrato, neste momento, está a favor do Cruzeiro, que também não deseja se indispor com o clube gaúcho, com quem mantém constantes conversas, tanto pela busca de atacantes, como até na tentativa de trazer de volta o lateral Orejuela.

O jogador de 22 anos está afastado dos treinos com o elenco principal em Porto Alegre desde fevereiro. O Grêmio possui 80% dos direitos do atacante, enquanto a escola conveniada que revelou o atleta em Dourados, no Mato Grosso do Sul, tem os outros 20%.

Artilheiro do Brasileirão de Aspirantes de 2019, Ferreira começou a ganhar chances no profissional gremista no segundo semestre e tem dois gols e duas assistências em nove jogos no time principal. O Cruzeiro está em busca de reforço para o ataque, principalmente depois da saída de Iván Ângulo. Outro nome procurado é o de Arthur Caíke, mas a parte financeira pesa na negociação.

GE